cdl novo

Sesau confirma continuação da Pró-Saúde à frente dos hospitais até que governo possa gerir sem danos atendimento à população

Secretária de saúde afirmou que nos próximos dois anos saúde deve passar por restruturação dos hospitais

ALESSANDRA SOUSA, DA REDAÇÃO 10 de Oct de 2012 - 18h26, atualizado às 18h41
Compartilhe
Alessandra Sousa
Da Redação

Como o CT antecipou, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) resolver continuar utilizando os serviços da Organização Social Pró-Saúde até que o governo do Estado consiga finalizar os processos licitatórios para a contratação de empresas que supram as necessidades dos Hospitais.

A nova secretária de saúde do Estado, Vanda Paiva, afirmou durante a coletiva, que o governo quer fazer essa transição com o mínimo de desgaste possível para a população. “Diante de não termos conseguido realizar toda essa transição sem que nenhum serviço seja interrompidos decidimos continuar usando os serviços da Pró-Saúde. Não concluímos procedimento para contratação de laboratórios, nem para muitos outros serviços principalmente materiais hospitalares. Não temos outra maneira de conseguir sem o procedimento licitatório”, disse.

Foto: Portal CT

Secretária contou que o processo licitatório é um processo complexo e que “90 dias foi um tempo muito curto para concluir essas licitações”


Conforme ela foi criada uma equipe com integrantes da Sesau e da Pró-Saúde para verificar e analisar os débitos pendentes com a organização. “Vamos analisar os gastos para estabelecer um cronograma de pagamento. A OS não poderia sair hoje sem causar um grande dando ao atendimento da população. A saúde da população tem que ser preservada. Não tem como assumir o risco de a população ficar sem atendimento”, afirmou.

A secretária contou que o processo licitatório é um processo complexo e que “90 dias foi um tempo muito curto para concluir essas licitações”. Com relação aos servidores contratados pela organização, Vanda Paiva afirmou que a empresa que ganha a licitação contrata se quiser. “A empresa ganha a licitação ela contrata se for necessário. Mas acho que a grande maioria dos servidores foi aproveitada”, ressaltou.

Vanda afirmou que a ela cabe agora todo o planejamento na área da saúde do Estado e elencou algumas ações que serão desenvolvidas pelo governo. “Nós vamos reformar e ampliar todos os hospitais do Estado. O governo vai investir nos próximos anos R$ 400 milhões em infraestrutura na saúde. Todos os projetos estarão concluídos até o final do mês de novembro e pretendemos terminar as licitações até o final do período de chuva para que as obras comecem”, afirmou.

De acordo com a secretária, o HGPP tem pessoas nos corredores, mas que estão recebendo atendimento. “O pior seria se elas não estivessem recebendo atendimento. O HGPP não atende só a população do Estado. Atende também pessoas do maranhão e do Pará e o governo do Tocantins não tem recebido contrapartida federal para arcar com as despesas”, contou.

Vanda Paiva ainda declarou: “Quanto mais melhorarmos mais pacientes de fora vão vir. Hoje todo mundo vem de fora para ser atendido aqui. Precisamos fazer uma campanha de orientação da população com relação à atenção básica. Encaminhar os pacientes para a áreas que eles precisam. O governador quer resolver o problema da saúde e as boas ideias serão aproveitadas”, contou.

Procuradoria
O procurador geral do Estado, André Mattos, afirmou que por ser um serviço essencial e considerando o tempo que leva para concluir cada licitação foi feito esse acordo com a organização para que ela continuasse a frente dos serviços até que o governo possa assumir. “Não se trata de prorrogação. Assim que tivermos a conclusão desses serviços, vamos retomar os hospitais e a Pró-Saúde sai”, disse. Mattos ainda emendou: “A Pró-Saúde encaminhou documento concordando com permanência. O termo de rescisão amigável é o documento que continua valendo”, contou.

Pró-Saúde
O superintendente da OS, Paulo Roberto Segatelli Camara, contou que está sento realizada uma transição tranquila. “A entidade não tem fins lucrativos. Ela está aqui para colaborar com a saúde do Tocantins, deixando um trabalho bem feito. Queremos sair daqui com tudo resolvido e sem problemas para a população”, afirmou.

Comentários

Redação: Palmas, Tocantins, Brasil, +55 (63) 9 9219.5340, +55 (63) 9 9216.9026, redacao@clebertoledo.com.br
2005 - 2017 © Cleber Toledo • Política com credibilidade
ArtemSite Agência Digital