cdl novo

Sesau anuncia pagamento de fornecedores e estende para 90 dias prazo de reintegração dos hospitais

Governo e O.S. firmaram um cronograma de pagamento e desfazimento do contrato

ALESSANDRA SOUSA, DA REDAÇÃO 23 de May de 2012 - 22h03, atualizado às 08h53
Compartilhe
Da Redação

A Secretaria de Saúde do Estado (Sesau) divulgou, na noite desta quarta-feira, 23, que os pagamentos aos fornecedores de mantimentos dos hospitais do Estado, contratados pela Organização Social Pró-Saúde serão iniciados a partir desta quinta-feira, 24. Conforme a assessoria de comunicação da secretaria, representantes da Sesau e da Pró-Saúde se reuniram nesta quarta e firmaram um cronograma de pagamento e desfazimento do contrato. A Sesau, porém, não divulgou se a prestação de contas por parte da O.S. teria sido feita.

Durante o Seminário de Municipalização, Regionalização e Redes de Saúde, promovido pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesau), que ocorreu nesta quarta, no auditório do Comando Geral, o procurador Geral do Estado, André Mattos, afirmou que o governo ainda não teria pago a Pró-Saúde por que a O.S. não teria feito a prestação de contas exigida pela Sesau.

Diferente do divulgado durante coletiva de imprensa na quinta-feira, 17, quando o secretário de Saúde Nicolau Esteves afirmou que o governo retomaria a gestão dos hospitais em um prazo máximo de 30 dias, na reunião desta quarta, o secretário ressaltou que as dívidas com a Pró-Saúde serão todas sanadas e, segundo a Sesau, todos os serviços sob a responsabilidade da OS serão retomados dentro de até 90 dias.

Na reunião também ficou acordado que serão pagas, primeiramente, dívidas de medicamentos, alimentação, gazes de cozinha e medicinais. Esses materiais são considerados, tanto pela Sesau quanto pela Pró-Saúde, prioritários. Ainda de acordo com a Sesau, o valor estimado para estes itens é de cerca de R$ 7 milhões.

Em entrevista ao CT na terça-feira, 23, o diretor da Organização Social Pró-Saúde, Marcos Henrique Wächter, alertou: “Praticamente todos os fornecedores paralisaram os fornecimentos”. Segundo Wächter, o governo já devia à OS, até terça, mais de R$ 27 milhões. De acordo com a Sesau, Wächter destacou que a definição do cronograma de pagamentos e desfazimento do contrato, dará maior segurança aos fornecedores e permitirá que a prestação dos serviços seja normalizada.

Também participou da reunião a Secretária Estadual de Planejamento, Wanda Paiva, que demonstrou a preocupação do Governo em garantir a continuidade dos serviços de saúde prestados à população tocantinense com qualidade.

Nesta quinta-feira, 24, está prevista mais uma reunião para novas definições.
 

Comentários

Redação: Palmas, Tocantins, Brasil, +55 (63) 9 9219.5340, +55 (63) 9 9216.9026, redacao@clebertoledo.com.br
2005 - 2017 © Cleber Toledo • Política com credibilidade
ArtemSite Agência Digital